HIDROPONIA ORGANICA

Sabemos, comprovadamente, que a hidroponia, pelo menos aquela praticada a nível comercial, não funciona como um processo totalmente inorgânico.

Mesmo assim, essa técnica é hoje um facto, e através de sua prática, podemos conseguir maiores velocidades no desenvolvimento das plantas, usufruindo melhores colheitas, com qualidade superior à de produtos agrícolas provenientes da prática de qualquer outro processo agrícola convencional.

E esta afirmação, não é aquela que muitos de nós gostaríamos de ouvir por lisonja, mas um simples facto e uma verdade científica.

E todo e qualquer cientista ou educador ligado às técnicas agrícolas, químicas e ou biológicas, se ainda não o fizeram, cedo ou tarde, de qualquer forma, terão que aceitar estes factos.

Para o preparo da solução de nutrientes, na hidroponia, usamos sais da mais elevada pureza, de alta solubilidade, produzidos ou purificados industrialmente.

Utilizamos também água do mais alto nível de pureza, seja química, seja biológica.

Mas, muitos agricultores que desejam ingressar na prática hidroponica, poderão não ter acesso fácil a esses produtos.

E aqueles que já se dedicam à prática da hidroponia, como enfrentariam a falta repentina ou gradual no fornecimento dos materiais que lhes são necessários?

Esta situação não é impossível, se considerarmos, por exemplo, catástrofes naturais ou mesmo situações bélicas, quando indústrias químicas especializadas poderão sofrer interrupções nas suas linhas de produção.

Teriam os hidroponistas condições de iniciar ou continuar suas atividades?

Podemos afirmar que sim.

E fazemos isso, baseados no que hoje se conhece àcerca do relacionamento de certas bactérias com as plantas, nos sistemas hidroponicos.

Este relacionamento tem sido estudado com profundidade, e a matéria de tal estudo, tem sido chamada de Bioponia.

Esta matéria envolve uma série de conhecimentos práticos, além de experimentos de vários hidroponistas dedicados, que não só anteviram as dificuldades que apontámos, como também consideraram a defesa de eco-sistemas, procurando não só manter seu equilíbrio natural, como deles tirarem proveito para a humanidade.

A Bioponia, envolve também o estudo de sistemas para se produzirem alimentos mais nutritivos, sempre usando processos e produtos naturais.

Assim sendo, destas pesquisas, surgiram duas novas técnicas ou sistemas hidropónicos, denominados como Aquaponia e Geo-Hidroponia ou Geoponia.

Os estudos feitos dentro da Bioponia, consequência dos quais temos hoje a Aquaponia e a Geo-Hidroponia, deram o grande passo para a prática da Hidroponia Orgânica.

Mas afinal, o que é a Hidroponia Orgânica?

Os sistemas hidroponicos orgânicos, mecânicamente, não apresentam nenhumas diferenças dos convencionais inorgânicos, pois baseiam-se nos seis sistemas básicos conhecidos.

A diferença está na solução de nutrientes.

Esta, em vez de preparada a partir de sais minerais industrializados, é preparada a partir de dejectos animais e resíduos vegetais e animais, bio-digeridos em dispositivos conhecidos como Biofiltros e Biodigestores.

Os Biofiltros, beneficiam, através de um processo biológico, águas poluidas com excrementos de peixes, transformando-as numa solução de nutrientes.

Dos biodigestores, obtém-se o Biofertilizante, e a partir dêste, se prepara a solução de nutrientes.

A Hidroponia Orgânica, diferencia-se radicalmente da Agricultura Orgânica.

Primeiro, porque é um sistema hidroponico, e como tal, não utiliza o solo, e segundo, porque produz plantas altamente sãs, e com elevado nível de assepsia.

Uma das características mais importantes da hidroponia orgânica, é a possibilidade que ela nos dá, de montar sistemas ecológicos fechados, onde tudo o que se utiliza é reciclado, não agredindo de modo algum o meio ambiente.

botão